O que é staking? Entenda como ganhar recompensa em criptomoeda

Mecanismo de prova de participação gera renda passiva para os usuários que ‘emprestam’ suas criptomoedas para plataformas

Por Redação  /  31 de janeiro de 2024
© - Shutterstock

Em uma ideia similar a investimentos tradicionais, o mercado cripto também tem mecanismos para ganhar rentabilidade passivamente. A dinâmica chamada staking oferece recompensam com criptomoedas aos usuários que emprestam ativos digitais a plataformas.

O conceito surgiu um pouco depois da criação do bitcoin e consiste no bloqueio temporário dos ativos em pools de liquidez por meio de contratos inteligentes. Assim, funciona como alternativa a recompensa e segurança oferecida pela mineração de blocos, afinal, oferece criptomoedas para o mecanismo de validação à prova de participação (proof-of-stake) e para as plataformas manterem a liquidez e a sustentabilidade da rede.

A blockchain Ethereum é uma das maiores plataformas que oferece a possibilidade de staking, mas outras altcoins e tokens DeFi também oferecem recompensar para atrair os usuários. Entenda como funciona esse mecanismo e se vale a pena se tornar um adepto:

O que é staking de criptomoedas?

Staking é um processo de validação de dados feito a partir do saldo em criptomoedas, sendo um mecanismo de prova de participação que é alternativo a mineração de dados (proof-of-work). Esses mecanismos confirmam a veracidade dos dados e contribuem para a gestão descentralizada do banco de informações nas blockchains.

Como precisam de saldo em criptomoedas para fazer a validação, o staking também funciona como um programa de recompensas para incentivar os usuários a guardarem os ativos nos pools de liquidez das plataformas. Sendo assim, a lógica consiste nos detentores dos ativos digitais serem recompensados com juros das criptomoedas por emprestarem os ativos.

Os maiores projetos de staking do mercado cripto

Existem quase US$ 700 bilhões em programas de staking no mercado cripto. Ou seja, este valor em criptomoedas está bloqueado e segue sendo utilizado em transações com o mecanismo de prova de participação. De acordo a StakingRewards, as principais plataformas com capitalização são:

  1. Ethereum
  2. Solana
  3. Cardano
  4. Avalanche
  5. Sui

Como ganhar criptomoedas fazendo staking?

Cada plataforma de staking possui regras específicas para as recompensas oferecidas em criptomoedas. Assim como há plataformas que distribuem a recompensa forma periódica, com o valor podendo ser acessado a qualquer momento, também existem plataformas com retiradas programadas. Sendo assim, neste caso, o valor total bloqueado (TVL) não pode ser retirado até atingir uma data específica.

Dessa forma, a distribuição da recompensa é variável e pode seguir vários critérios, como o número de participantes, o valor depositado pelos usuários e até o preço da criptomoeda no mercado. Da mesma forma, a recompensa pode variar de plataforma para plataforma. Por exemplo, há protocolos que distribuem mais de 100% anualmente do valor depositado pelo usuário.

Plataforma para otimizar staking

Uma estratégia para impulsionar os ativos em staking é utilizar otimizadores de investimento (Yield Optimizer). Essas plataformas usam algoritmos para automatizar os processos de composição manuais, possibilitando maximizar o rendimento.

Um exemplo é o protocolo Tulip.garden, a primeira plataforma de agregação construída em Solana. Com estratégias de cofre de composição automática, a plataforma eleva os rendimentos em farms com Raydium ou Orca, trocando as emissões do token por mais tokens provedores de liquidez (LP). Funciona da seguinte forma:

  1. Usuário deposita LPs Raydium na Tulip.
  2. A cada bloco (5 segundos) o usuário recebe tokens RAY como recompensa.
  3. Protocolo Tulip recolhe os tokens a cada dez minutos, deduzindo taxas.
  4. Tulip troca as recompensas RAY por mais LPs.

Segundo o desenvolvedor, a plataforma não exige gerenciamento ativo e oferece taxas de gás mais baixas. Para usar esse otimizador basta:

1 – Acessar o Tulip.garden

2 – Conectar sua carteira Solana clicando em “Connect” no lado direito superior.

3 – Escolher um farm para adicionar liquidez.

4 – Adquirir tokens LP.

5 – Depositar os tokens no cofre.

Pronto, após aprovar a transação, o rendimento será composto automaticamente pelo agregador de rentabilidade.

Vale a pena fazer staking com criptomoedas?

O staking acaba sendo uma estratégia para obter renda passiva com os criptoativos. Por isso, a tendência é que os usuários fiquem mais confiantes em tornarem-se adeptos quando podem escolher entre retirar somente a rentabilidade dos juros ou o valor total, considerando o aporte inicial e a recompensa.

Embora o staking tenha vários benefícios para a rede e os detentores de criptomoedas, é importante reconhecer que existem riscos e desafios associados a essa prática. Inclusive, pode afetar diretamente a dinâmica do mercado cripto.

staking criptomoedas
© – Shutterstock

Qual o impacto no mercado cripto?

Embora o staking seja amplamente considerado benéfico para a rede e os detentores de ativos, também existem cenários em que a prática pode impactar negativamente o preço da criptomoeda no mercado, seja pela escassez de moedas para negociação ou até a mudança de comportamento dos consumidores.

Assim, a prática pode influenciar em pontos como:

Escassez de liquidez

Quando os detentores de cripto optam por alocar suas moedas em staking, elas ficam indisponíveis para negociação ativa nos mercados. Isso pode levar a uma escassez de liquidez, já que menos ativos estão disponíveis para compra e venda. Essa oferta reduzida nos mercados pode aumentar a volatilidade dos preços e tornar o critpoativo mais suscetível a oscilações bruscas.

Diminuição da atividade em protocolos DeFi

À medida que mais detentores migram para o staking, menos moedas estão disponíveis para serem usadas em protocolos DeFi (Finanças Descentralizadas), componente essencial do ecossistema cripto. Então, por consequência, essa diminuição na liquidez dos protocolos DeFi pode afetar negativamente a eficácia e o desenvolvimento de projetos e aplicativos na rede.

Potencial ciclo vicioso

Se uma porção significativa dos detentores de criptomoedas optar pelo staking e manter suas moedas bloqueadas por um longo período, pode ocorrer um ciclo vicioso de declínio na atividade de negociação. Menos atividade de negociação pode levar a uma menor visibilidade e interesse por parte dos traders e investidores, resultando em um ciclo de baixa do preço.

Dependência do Proof of Stake (PoS)

Embora o PoS tenha muitos benefícios, incluindo a eficiência energética e a segurança da rede, se a maioria dos detentores optar pelo staking ao invés do proof of work (PoW), pode haver uma redução na participação na mineração e validação PoW, podendo impactar a segurança da rede.

Alteração no comportamento dos investidores

À medida que mais detentores viram adeptos da prática de congelar os ativos em pools de liquidez, eles podem se tornar mais orientados para a obtenção de renda passiva em vez de buscar atividades de negociação e investimento de longo prazo. Essa mudança pode afetar a dinâmica geral do mercado, incluindo o preço das criptomoedas.

Impacto nas atividades de desenvolvimento:

Se muitos detentores optarem pelo staking, pode haver uma redução no financiamento disponível para o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções em certas blockchains, o que poderia atrasar a inovação e a adoção de plataformas como a Ethereum.

Sendo assim, para garantir o crescimento e desenvolvimento do ecossistema cripto e dos ativos digitais, é necessário ter um equilíbrio entre staking e atividades de negociação/investimento.