Como funciona o mercado de balcão OTC com criptomoedas?

OTC é uma alternativa para quem negocia milhões de dólares em criptomoedas fugir de riscos do mercado cripto como a volatilidade

Por Paulo Carvalho  /  14 de junho de 2024
© - Shutterstock

A maioria das transações de compra e venda de criptomoedas acontece em plataformas como exchanges. No entanto, para investidores que negociam alto volume de ativos digitais, existe o mercado de balcão, também chamado de OTC (Over The Counter).

O termo ficou popular quando ações eram negociadas em contratos registrados em papéis no mercado financeiro tradicional, mas, o destaque no mercado cripto é pelo papel que desempenha. Afinal, além de operar alto volume de negociação diariamente, é um serviço usado principalmente por investidores institucionais.

O que é OTC?

O mercado de balcão OTC é um serviço feito por corretores e plataformas cripto como intermédias em transações com criptomoedas. Assim, as negociações acontecem fora das plataformas. Apesar de não serem registradas em plataformas convencionais, esse tipo de negociação é legalizada no Brasil e segue regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
A sigla OTC significa “acima do balcão” em português e os principais ativos negociados por esse meio são:

  • Ações;
  • Debêntures;
  • Títulos mobiliários;
  • Fundos de investimento;
  • Fundos de índices (ETF);
  • Contratos de opções;
  • Criptomoedas.

As cripto mais negociados em operações OTC são o bitcoin (BTC), ether (ETH) e stablecoins como a tether (USDT). Essas negociações do mercado de balcão pode ser de dois tipos: mesa principal e agência.

Como funciona a negociação por balcão OTC?

Em transações que envolvem a mesa principal, a corretora pode assumir o risco para a operação, adquirindo criptomoedas em nome do comprador. Ou seja, o comprador aceita o valor ofertado pela empresa responsável pelo serviço de balcão antes da aquisição de criptomoedas. Após aceitar as condições, a empresa pode utilizar seu próprio saldo na transação registrada via mesa principal.

Por outro lado, o risco pode ser maior em negociações de mesa de agência, pois a corretora usa o próprio saldo para comprar criptomoedas a preço de mercado. Nesse caso, a cobrança pelo serviço de corretagem pode ser em cima do valor total.

ilustração com siglas e valores do mercado financeiro e em destaque a sigla OTC do mercado de balcao
© – Shutterstock

As etapas da operação por balcão OTC

Todo o processo de compra e venda de criptomoedas nessa modalidade obedece etapas que envolvem o serviço de corretagem. Assim, inclui passos como:

Encontrar alguém interessado na transação

Após receber os pedidos de compra ou venda de determinada criptomoeda, o serviço OTC deve encontrar alguém disponível para aquela transação. Nesse primeiro momento, a contraparte pode ser um investidor ou algum saldo disponível em exchange.

Termos e condições

Após encontrar a contraparte da transação, a operação apresenta os termos e condições que validam todo o processo. Isso pode envolver um preço pré-determinado e até horário limite para finalizar o negócio.

Transação

Existem duas formas de efetuar as transações, sendo diretamente ou por serviço de garantia. No segundo caso, os ativos ficam armazenados até a conclusão da operação.

Finalização da operação OTC

Os termos da transação são confirmados e a transação é finalizada.

Vantagens da negociação de mercado de balcão

Em uma transação OTC, uma única operação pode enviar 1.000 bitcoins (BTC), por exemplo. Em uma exchange, esse volume poderia impactar no preço da criptomoeda no mercado.

Contudo, o mercado de balcão evita que essa flutuação de preço aconteça pelas negociações serem fora das plataformas. Dessa forma, diminui o risco de operações que envolvem altos valores. Além disso, normalmente são sigilosas e não oferecem informações sobre os envolvidos.

Outras vantagens nesse modelo de negociação são:

Flexibilidade

O mercado OTC permite programar a compra de criptomoedas, sendo os preços e prazos completamente adaptáveis.

Riscos

Operações com alto volume de criptomoedas exigem níveis de segurança elevados. No mercado de balcão, a gestora prestadora do serviço é quem assume o risco da contraparte.

Descentralização

As operações entre os interessados na negociação são mais diretas, ou seja, menos centralizadas. Com isso, a burocracia é menor.

Além do uso das criptomoedas para transações financeiras, estes ativos digitais também podem ser incorporadas nos negócios por meio de gateways, o que possibilita usá-las como modalidade de pagamento.


Tags